Brasil
(11) 4210-8391 / (13) 3288-3058
comercial@mkplus.com.br

4 dicas de como evitar o pânico sobre coronavírus entre os colaboradores

O cenário com o novo coronavírus (COVID-19) transformou a realidade de diversos países. Centenas de pessoas na Europa, na Ásia, na América do Norte e do Sul estão vivendo em quarentena, isoladas de aglomerações para evitar a proliferação da doença. Evitar o pânico sobre o coronavírus pode ser desafiador no momento, mas necessário.

O Brasil teve uma progressão considerável de casos e a expectativa é que — em até 21 dias — tenham 30 mil pessoas infectadas na grande São Paulo, segundo estudo do Instituto Pensi. Por isso, as empresas e os governos já começaram a tomar providências com medidas de prevenção.

Para a Sociedade de Infectologia não é o momento para entrar em pânico, mas o estresse e a ansiedade podem ser fatores que influenciam a saúde mental dos trabalhadores nesse momento. Por isso, separamos algumas dicas para lidar com essa nova realidade.

4 dicas para evitar o pânico sobre coronavírus na empresa

Essa é a primeira epidemia decretado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) desde 2009, com a H1N1 — conhecida como gripe suína ou Influenza A. A preocupação é com o crescimento da contaminação em todos os países.

Alguns fatores influenciam na expansão dos casos, tais como a falta de prevenção e descuidado populacional. Pensando nisso, a OMS orientou sobre a quarentena e a necessidade de evitar aglomerações em países que registram casos de contaminação.

Desde o seu surgimento, em dezembro de 2019, o coronavírus alterou e impacto o mercado. Além da desvalorização de bolsas, muitas empresas pararam sua produção durante longos períodos, a fim de evitar a proliferação do doença dentro da organização.

No Brasil, muitas empresas adotaram posturas firmes, tais como: o home office obrigatório, a distribuição de álcool gel (> 60%), flexibilização da jornada de trabalho etc. Por meio dessas ações, tornou-se possível evitar aglomerações não apenas dentro da empresa, mas também no translado para chegar até o escritório.

1. Mantenha um canal oficial de comunicação

A informação é a base para a conscientização. Por isso, manter um canal de comunicação interna é fundamental. Em períodos de grande nervosismo é comum que sejam disseminadas informações falsas nas mais diversas plataformas.

Para evitar a histeria, o RH precisa reforçar uma forma direta e dinâmica de manter o contato com todos os colaboradores. Confiar apenas em portais oficiais e conferir todas as notícias que chegar são cuidados primordiais na conscientização do cenário para todos os colaboradores.

2. Estabeleça uma rotina de diálogos

A política de feedbacks é a base para criar uma cultura organizacional na qual o diálogo é valorizado. Momentos de tensão — como o atual — são oportunidades de fortalecer essa parceria e criar uma troca frequente entre gestores e geridos.

A intenção, no entanto, não é fazer a habitual troca sobre a rotina de trabalho, mas sim perguntar sobre a condição de saúde. Os gestores podem perguntar sobre como os colaboradores estão se sentindo, questionando sobre os sintomas da doença e se funcionário está monitorando a temperatura corporal.

3. Disponibilize informativos sobre prevenção

Saber sobre como se manter saudável e evitar o contágio com o novo coronavírus é fundamental. Tendo isso em mente, a gestão de pessoas precisa disponibilizar informativos para instruir e explicar para os colaboradores as diversas maneiras de precaução.

Os informativos podem ser distribuídos virtualmente e fixado em lugares estratégicos da empresa, dessa forma fica mais fácil conseguir conter o avanço da doença dentro da organização.

4. Promova ações que incentive a autopreservação

Por fim, outra ação importante para diminuir o sentimento de pânico sobre coronavírus é promover a autopreservação. Nesse sentido, as empresas podem propor flexibilização do horário de trabalho e o home office.

Uma das orientações para evitar o contágio é o isolamento. Esse cenário é válido para todos os países que têm contaminação — seja ela dentro do país ou vinda do exterior. Dessa maneira é possível controlar o número de casos e não provocar a lotação das unidades básicas de saúde.

Entender como evitar o cenário de pânico sobre coronavírus entre os colaboradores é uma maneira de conseguir equilibrar o ambiente organizacional, promovendo uma atenção crucial à saúde mental.